Slow parenting - As crianças precisam brincar




Tudo começou com a melhor das intenções. O jornalista britânico Carl Honoré conversando com a professora do seu filho, fica sabendo que o pequeno tem talento para o desenho. Empolgado com a notícia ele sai da reunião disposto a achar o melhor curso de desenho para seu filho aperfeiçoar ainda mais seu dom. O que ele não esperava era a seguinte resposta: "Pai, eu não quero fazer curso, quero apenas pegar um papel e desenhar!". Foi assim que Carl Honoré,também autor do livro "Sob pressão" deu vida ao movimento Slow Parenting.


Slow Parenting ou "Pais sem pressa" é um movimento que foi difundido nos Estados Unidos e Europa e que tem ganhado força aqui no Brasil. O principal objetivo é a desaceleração da rotina familiar e consequentemente, das crianças.



Os pais sempre tem a melhor das intenções. Afinal, quem é pai quer sempre o melhor para os filhos e está sempre pensando no futuro. Mas até que ponto é saudável pensar tanto assim no futuro? O Slow Parenting questiona toda essa pressa na rotina da crianças, desde comer correndo, se vestir mais rápido e consequentemente, brincando menos. A ansiedade dos pais e toda essa pressão vivida pelas crianças da atualidade, acabam gerando desatenção e desmotivação.


Slow Parentig - O equilíbrio

Resgatar a infância, aquela do brincar livre, do ócio e que a criança desenvolve suas habilidades é a principal proposta do movimento slow parenting.


Os pais sem pressa driblam ao máximo as tecnologias e estimulam brincadeiras ao ar livre e em contato com a natureza para que a criança possa explorar ainda mais a sua criatividade.


As atividades extracurriculares existem, mas sem atrapalhar as brincadeiras que são tão importantes nessa fase da vida.


Abaixo uma imagem com um resumo dos 7 mandamento do slow parenting.







#criança #slow